Pular para o conteúdo principal

EDUCAÇÃO DOS SENTIDOS

Tivemos na segunda semana de maio uma vivência diferenciada com o grupo de alunos da Uni Sênior Santana, em nosso espaço Sabor & Saber.

Uma experiência para educação e ampliação do conhecimento dos nossos sentidos.
Usamos os seis sentidos: olfato, paladar, visão, audição, tato e percepção.
Degustamos alguns alimentos usando todos os sentidos: chocolates, gelatinas, frutas e outros.

Muitas pessoas pensam que o gosto é o único sentido verdadeiramente importante quando se come e se desfruta do prazer dos alimentos, mas não é bem assim. Durante a degustação, utilizamos todos os nossos sentidos. São instrumentos que empregamos para avaliar os alimentos e a sua qualidade, ao mesmo tempo que deles retiramos prazer e emoção. É evidente que nos agradam os sabores daquilo que comemos, mas também, e sobretudo, o seu aroma. Basta, por exemplo, pensar no café.!

Pense na importância das sensações táteis que experimentamos na boca quando apreciamos, por exemplo, a cremosidade de um mousse. A satisfação que se sente quando se morde uma castanha crocante, deve-se em parte, também a nossa audição. E a visão? Com ela, fazemos também uma avaliação estética do alimento, por exemplo: uma decoração em um bombom de chocolate. Os queijos, quando compramos, avaliamos seu aspecto, agradável ou desagradável.

Os degustadores por profissão, como um sommelier ou um provador de café, utilizam seus sentidos para avaliar a qualidade do alimento. São análises preliminares, por exemplo, observar a cor de um vinho para obter indícios sobre a sua juventude ou maturidade ou tocar um queijo com aponta do dedo para apreciar a sua consistência (textura).

O Olfato pode fornecer informações ainda mais ricas, detalhadas e estimulantes, sobre as características do alimento.

Para utilizar todos os sentidos no ensino das disciplinas, é fundamental considerar as vivências e historia de vida de quem aprende, buscando entender que o alimento tem grande força emotiva que age como estimulo fisiológico e tem o poder de alterar varias reações no organismo, por exemplo: respiração, salivação, muitas vezes pressão arterial, reações psicológicas de prazer, prestigio, aparência, saúde ou de personalidade.


Através dessa vivência o aluno se conscientiza e se apropria de conhecimentos básicos que irá passar para os outros familiares, amigos ou pessoas de convívio, procurando alimentar-se com mais critério, obtendo mais qualidade de vida e longevidade.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Surpreenda-se com essa dica!

Mensagem de Natal Sabor&Saber Gastronomia

Caldo de legumes caseiro